Nosso Cantinho Online

Tenha acesso a informações úteis para que se mantenha atualizado!

Sementes silenciosas: infertilidade.

Olá e seja bem-vinda ao nosso cantinho online! A infertilidade, marcante e complexa, é um tema repleto de emoções e questões no panorama da saúde feminina.

Manifestando-se além dos números, encontra seu eco nas histórias pessoais, onde a esperança e a procura por respostas desempenham papéis principais.

Impactando cerca de 10 a 15% dos casais em idade reprodutiva ao redor do mundo, a infertilidade assume uma posição de destaque por sua relevância médica e social.

Seu vasto alcance, afetando pessoas de diferentes idades, culturas e condições sociais, sublinha a universalidade e a complexidade deste desafio.

A infertilidade é intricada por natureza, abrangendo causas que vão desde fatores genéticos até questões de saúde específicas e escolhas de estilo de vida, ressoando profundamente nos aspectos emocionais, físicos e sociais dos indivíduos.

Ao explorar as muitas camadas da infertilidade, revela-se a importância de abordagens informadas, empáticas e abertas.

Iluminar este aspecto essencial da saúde feminina não apenas ajuda a dissipar dúvidas, mas também reforça a necessidade de uma comunicação franca, da busca por soluções e, acima de tudo, da manutenção da esperança em meio aos desafios.

Dr.Jailton especialista em infertilidade

Dr. Jailton Santiago Junior

Especialista em Ginecologia e Obstetrícia desde 2009. 

Pós graduação em Vídeolaparoscopia desde 2010 e 

Pós graduação em Reprodução Assistida desde 2018. 

Plantonista em ginecologia e obstetrícia na maternidade de gestação de alto risco do Hospital Santa Casa De Maringá de 2009 até 2020.  

Plantonista em ginecologia e obstetrícia na Maternidade do Hospital Metropolitano de Sarandí de 2010 até 2023. 

Preceptor em Medicina na Unicesumar de 2019 até 2023. 

Docente na faculdade de medicina da UNINGÁ de 2009 até 2019.

Além de sua formação e atuação acadêmica, Dr. Jailton é reconhecido como especialista em infertilidade, tendo ajudado inúmeras mulheres a alcançar o sonho da maternidade, utilizando seu vasto conhecimento em tratamentos avançados e proporcionando um acompanhamento cuidadoso e personalizado.

Comentários sobre Dr.jailton Santiago Junior.

Iedda Soria
Iedda Soria
18/07/2023
Excelente profissional, se preocupa com o bem estar do paciente, super educado e atencioso, mega recomendo.
Raquel Rodrigues
Raquel Rodrigues
13/07/2023
Fui muito bem atendida! As meninas da recepção, são atenciosas. Na primeira consulta o dr já entendeu minha preocupação e medos, conseguiu resolver. 🙏🏼
Taika Rocco
Taika Rocco
13/07/2023
Depois de passar por inúmeros ginecologistas em Maringá e região, devido a fortes dores abdominais, muito sangramento e cólicas incessantes, aos 21 anos fui diagnosticada com endometriose, pelo Dr. Jailton. Conheci o Dr. Jailton, no ano de 2010, quando trabalhei de recepcionista no hospital onde ele estava fazendo residência e, devido a vontade e preocupação eu tinha certeza de uma coisa: ele iria desvendar as minhas dores e encontrar uma solução! Passei por uma grande cirurgia, aos 23 anos, para que fosse feito a retirada de toda a endometriose (ou a maioria dela), pois na época não existia um exame que apontava corretamente em qual parte do meu corpo poderia estar com a endometriose. Lembro até hoje a frase dele “parecia um varal” tinha endometriose por todos os lados, foi complicada, demorada, mas satisfatória! No momento da cirurgia fizemos a implantação do Diu Mirena, para conter o sangramento e a possível volta da endometriose, tudo isso em meados de 2012. Hoje, estou com 34 anos, e um lindo bebê a caminho, mais precisamente, 13/07/2023, estou no 9º mês aguardando a chegada do Daniel. Só tenho a agradecer por esses longos anos, não só pelos atendimentos, mas por entender o que o meu corpo estava gritando, enquanto inúmeros outros profissionais não escutavam (pois doía demais), obrigada por estar acompanhando toda a gestação e por toda a atenção que você e sua equipe estão prestando. Parabéns pela escolha da profissão, ela com certeza está e sempre estará salvando vidas.
Gisele Stranieri
Gisele Stranieri
13/07/2023
Fez meus dois partos com muito comprimento, carinho e cuidado. E olha que nos dois teve que acordar de madrugada para atender as apressadinhas.
Tha Ferreira
Tha Ferreira
13/07/2023
Excelente

Definição.

Infertilidade é definida pela incapacidade de conceber após 12 meses de tentativas regulares de gravidez sem o uso de métodos contraceptivos em mulheres com menos de 35 anos.

Para mulheres com 35 anos ou mais, o período considerado antes de se avaliar a infertilidade é geralmente reduzido para 6 meses, devido à diminuição natural da fertilidade com a idade.

Classificação:

  1. Primária: Quando um indivíduo ou casal nunca conseguiu conceber.
  2. Secundária: Quando um indivíduo ou casal tem dificuldade em conceber após já ter concebido anteriormente.

Principais causas de infertilidade.

A identificação cuidadosa das causas subjacentes à infertilidade é essencial para direcionar os casais às opções de tratamento mais adequadas, possibilitando abordagens personalizadas baseadas nas necessidades individuais.

  • Fatores ovulatórios: Incluem a síndrome dos ovários policísticos (SOP), hiperprolactinemia, insuficiência ovariana precoce e problemas na glândula tireoide.
  • Fatores tubários e peritoneais: Obstruções e danos nas trompas de Falópio por infecção, aderência, endometriose e cirurgias abdominais/pélvicas anteriores.
  • Fatores uterinos e cervicais: Anormalidades como fibroides, miomas e pólipos uterinos, malformações congênitas do útero, ou condições que afetam o muco cervical, dificultando a passagem dos espermatozoides.
  • Fatores hormonais: Desequilíbrios hormonais podem comprometer a ovulação e o ambiente uterino, influenciando tanto a capacidade de conceber quanto de sustentar uma gravidez.
  • Fatores imunológicos: Algumas mulheres desenvolvem anticorpos contra os próprios óvulos ou espermatozoides do parceiro, interferindo na fertilização e implantação.
  • Doenças crônicas: hipertensão, diabetes, doenças renais e hepáticas.
  • Infertilidade de causa não aparente: Casos em que a infertilidade ocorre sem uma causa identificável após avaliação diagnóstica completa.
  • Fator masculino: responsável por 30-40% dos casos de dificuldades de concepção, geralmente está relacionada a problemas com a contagem de espermatozoides, motilidade ou morfologia.
causal com infertilidade

Fatores de risco.

A compreensão dos fatores de risco associados à infertilidade é crucial para reconhecer vulnerabilidades e buscar orientação médica adequada.

  • Obesidade e baixo peso: Tanto a obesidade quanto o baixo peso podem interferir nos processos hormonais normais, afetando a ovulação nas mulheres e a qualidade do esperma nos homens. A obesidade também está associada a riscos aumentados de problemas como síndrome dos ovários policísticos (SOP) e endometriose, enquanto o baixo peso pode levar à diminuição da função ovariana e à amenorreia.
  • Tabagismo: Nas mulheres, pode antecipar a menopausa e afetar negativamente a qualidade dos óvulos. Nos homens, está associado a uma contagem menor de espermatozoides e problemas de motilidade espermática.
  • Consumo excessivo de álcool: O álcool pode afetar a fertilidade reduzindo a qualidade dos óvulos e espermatozoides, além de contribuir para problemas de ovulação e até mesmo para o aumento do risco de aborto espontâneo.
  • Exposição a toxinas ambientais: Poluentes, como metais pesados, pesticidas e produtos químicos industriais, podem afetar negativamente a fertilidade tanto masculina quanto feminina, prejudicando a qualidade dos espermatozoides e óvulos.
  • Estresse crônico: Altos níveis de estresse podem interferir nos hormônios que regulam a ovulação e a produção de esperma, potencialmente prolongando o tempo necessário para conceber.
  • Idade: A fertilidade feminina começa a declinar significativamente a partir dos 35 anos, com uma queda na quantidade e qualidade dos óvulos. Para os homens, a qualidade do esperma também pode diminuir com a idade, embora esse declínio seja mais gradual.
  • Histórico familiar e genética: Condições genéticas ou um histórico familiar de problemas de fertilidade podem aumentar o risco de enfrentar desafios semelhantes.

Leia mais em:

https://drjailtonsantiago.com.br/nosso-cantinho-online/

Mitos e verdades.

Aqui estão esclarecimentos baseados em evidências científicas para desfazer equívocos comuns sobre a infertilidade.

Infertilidade é sempre um problema da mulher. Mito!


Verdade: A infertilidade afeta homens e mulheres de forma quase igualitária. Cerca de um terço dos casos são devidos a fatores femininos, um terço a fatores masculinos, e o restante a uma combinação de fatores de ambos ou a causas não identificadas.

A infertilidade é apenas uma questão de “tentar mais”. Mito!


Verdade: Apesar da persistência ser importante, muitas vezes a infertilidade resulta de condições médicas que exigem tratamento específico. A consulta com um especialista é recomendada após um ano de tentativas sem sucesso (ou seis meses para mulheres acima de 35 anos).

Homens permanecem igualmente férteis independentemente da idade. Mito!


Verdade: Embora os homens possam ter filhos mais tarde na vida, a qualidade do esperma diminui com a idade, afetando a fertilidade.

Estilo de vida saudável e pensamento positivo são tudo o que você precisa para superar a infertilidade. Mito!


Verdade: Um estilo de vida saudável e uma atitude positiva ajudam, mas muitos casos de infertilidade requerem intervenções médicas específicas.

Adotar uma criança ou “parar de tentar” frequentemente leva a uma gravidez. Mito!


Verdade: Existem relatos de casais que conceberam após adoção ou quando pararam de focar na concepção, mas estes são casos isolados e não representam uma solução garantida para a infertilidade.

O uso prolongado de contraceptivos prejudica a fertilidade. Mito!


Verdade: Contraceptivos não afetam a fertilidade.

Posições sexuais específicas aumentam as chances de concepção. Mito!


Verdade: Não há evidência científica que suporte a ideia de que certas posições sexuais são mais eficazes para conceber. A regularidade das relações sexuais, especialmente durante o período fértil, é o aspecto mais crítico.

Diagnóstico.

O caminho para entender as causas da infertilidade começa com um conjunto de avaliações diagnósticas minuciosas, cada uma desenhada para oferecer insights essenciais sobre os possíveis obstáculos à concepção.

  • História clínica e exame físico completo: A avaliação inicia com um detalhado histórico médico do casal, focando em aspectos como o tempo de infertilidade, regularidade e características do ciclo menstrual, histórico de gravidez, condições de saúde preexistentes, e estilo de vida. Um exame físico detalhado é realizado em ambos os parceiros. No exame físico da mulher, são avaliados o estado dos órgãos reprodutivos externos, a presença de alterações na glândula tireoide, sinais de desordens hormonais como hirsutismo, e outras condições que possam afetar a fertilidade. Para o homem, o exame físico inclui a avaliação dos genitais, verificando anormalidades testiculares, varicoceles, ou outros indicativos de condições que possam impactar a produção ou função dos espermatozoides.
  • Exames laboratoriais: Testes hormonais no sangue são críticos para avaliar a função reprodutiva, incluindo FSH, estradiol, LH, prolactina, hormônios tireoidianos, e AMH para as mulheres, oferecendo uma visão sobre a reserva ovariana e ciclos ovulatórios. Para os homens, o espermograma avalia aspectos cruciais do sêmen, como contagem, motilidade e morfologia dos espermatozoides. Exames gerais de saúde também são realizados para identificar outras condições médicas que possam influenciar a fertilidade.
  • Ultrassonografia transvaginal: Este exame fornece imagens detalhadas do útero, ovários e outras estruturas pélvicas, identificando a presença de miomas, pólipos, cistos ovarianos, avaliação de folículos antrais e o tamanho dos ovários, além de outras anormalidades que podem impactar a fertilidade.
  • Histerossalpingografia: Avalia o útero e as trompas de Falópio utilizando contraste, para identificar possíveis obstruções ou anormalidades.
  • Ressonância magnética: Fornece imagens detalhadas para avaliação de condições complexas, como endometriose profunda, miomas, e malformações uterinas, complementando as informações obtidas por ultrassonografia.
  • Laparoscopia e histeroscopia: Estes procedimentos invasivos permitem uma avaliação direta dos órgãos pélvicos e do interior do útero, respectivamente, sendo particularmente úteis para diagnosticar endometriose, aderências, e anormalidades internas que não são facilmente detectadas por outros métodos.

A Importância de um diagnóstico precoce e preciso.

Um diagnóstico preciso e realizado precocemente é essencial, aumentando significativamente as chances de sucesso no tratamento da infertilidade.

Este diagnóstico permite intervenções específicas e personalizadas, baseadas nas causas identificadas, e oferece aos casais um caminho mais claro e fundamentado para alcançar a concepção, aliviando o estresse e a ansiedade que frequentemente acompanham este processo.

Tratamentos.

Existem várias opções de tratamento para casais que enfrentam infertilidade, variando de tratamentos medicamentosos a técnicas de reprodução assistida.

A escolha do tratamento mais adequado depende de uma série de fatores, incluindo a causa da infertilidade, a idade da mulher, a duração da infertilidade e preferências pessoais do casal.

Tratamentos medicamentosos.

  • Indutores de ovulação: Medicamentos como o citrato de clomifeno e as gonadotrofinas são usados para estimular os ovários a liberarem óvulos.
  • Hormônios: Terapias hormonais podem ser prescritas para corrigir desequilíbrios que afetam a fertilidade, como tratamentos com progesterona para regularizar ciclos menstruais ou terapias para otimizar níveis de hormônios tireoidianos e prolactina.

Procedimentos cirúrgicos.

  • Laparoscopia: Utilizada para tratar endometriose, remover cistos ovarianos, desobstruir trompas de Falópio, remover aderências e tratar hidrossalpinges.
  • Miomectomia: Focada na remoção de miomas uterinos, especialmente os submucosos e intramurais maiores que 3 cm, que podem afetar a fertilidade.
  • Polipectomia: Procedimento para a remoção de pólipos uterinos. Os pólipos são crescimentos de tecido na parede interna do útero que podem interferir com a implantação do embrião ou aumentar o risco de aborto. A remoção dos pólipos é realizada por histeroscopia, o que permite uma recuperação rápida e melhora as taxas de sucesso reprodutivo.

Métodos de reprodução assistida.

Coito programado.

Monitoramento detalhado do ciclo ovulatório por meio de testes de ovulação, ultrassonografia e monitoramento hormonal identifica o período fértil.

O casal é orientado sobre os melhores momentos para relações sexuais, aumentando as chances de concepção.

Vantagens do coito programado:

  • É um método não invasivo e de menor custo em comparação com outras técnicas de reprodução assistida.
  • Permite que o casal tente a concepção em um ambiente natural e privado.
  • Pode ser especialmente eficaz para casais jovens com infertilidade inexplicada ou leves desordens ovulatórias.

O Coito Programado é uma abordagem valiosa para casais que estão começando a explorar opções de tratamento para infertilidade, oferecendo uma maneira menos invasiva de aumentar as chances de uma gravidez natural.

FIV tratando infertilidade

Inseminação artificial (IA):

A inseminação artificial (IA) é um procedimento de reprodução assistida que envolve a inserção direta de espermatozoides tratados no útero da mulher durante o seu período fértil.

Este método é comumente utilizado para superar dificuldades relacionadas a problemas de fertilidade masculina, como baixa motilidade dos espermatozoides, ou questões femininas, como incompatibilidades cervicais que impedem o espermatozoide de passar pelo colo do útero.

Etapas da inseminação artificial:

  1. Seleção e preparação dos espermatozoides: Antes da inseminação, os espermatozoides são cuidadosamente selecionados e preparados em laboratório. Este processo, conhecido como “capacitação dos espermatozoides”, envolve o tratamento dos mesmos para aumentar sua mobilidade e a capacidade de fertilizar o óvulo.
  2. Monitoramento do ciclo ovulatório: A paciente é monitorada de perto através de ultrassom e, às vezes, hormônios são administrados para estimular a ovulação e garantir que a inseminação seja realizada no momento ótimo do ciclo reprodutivo.
  3. Inserção dos espermatozoides: Utiliza-se um cateter fino para inserir os espermatozoides diretamente no útero. Este processo é geralmente rápido e causa pouco ou nenhum desconforto.
  4. Seguimento: Após a inseminação, a mulher pode ser aconselhada a descansar por um curto período antes de retomar as atividades normais. Um teste de gravidez é realizado após cerca de duas semanas para verificar se o procedimento foi bem-sucedido.

Indicações:

  • Baixa motilidade espermática.
  • Contagem baixa de espermatozoides.
  • Incompatibilidade cervical, onde o muco cervical impede que os espermatozoides atinjam o óvulo.
  • Casais que enfrentam infertilidade sem uma causa identificada.

Vantagens:

  • Menos invasiva e mais acessível financeiramente em comparação com outras técnicas de reprodução assistida, como a fertilização in vitro (FIV).
  • Pode ser uma primeira linha de tratamento para casais com certos tipos de infertilidade.

A inseminação artificial é uma opção valiosa para muitos casais que enfrentam desafios para conceber naturalmente, oferecendo uma oportunidade de aumentar suas chances de iniciar uma família.

Fertilização In Vitro (FIV):

A Fertilização In Vitro (FIV) é uma das técnicas mais avançadas e eficazes de reprodução assistida.

Ela envolve várias etapas detalhadas, projetadas para maximizar as chances de concepção para casais enfrentando desafios de infertilidade.

Etapas da fertilização in vitro:

  1. Estimulação ovariana: Inicialmente, a mulher recebe hormônios para estimular os ovários a produzir múltiplos óvulos. Durante este período, o desenvolvimento dos folículos é monitorado através de ultrassonografias regulares e testes de sangue.
  2. Coleta de óvulos: Os óvulos são coletados através de um procedimento cirúrgico minimamente invasivo, geralmente sob sedação. Um instrumento fino é inserido através da vagina para alcançar os ovários, onde os óvulos são aspirados cuidadosamente.
  3. Coleta de esperma: Paralelamente, uma amostra de esperma é coletada do parceiro ou de um doador. Esta amostra é processada para concentrar os espermatozoides com maior mobilidade e vitalidade.
  4. Fertilização: Os óvulos e os espermatozoides são combinados em laboratório para permitir a fertilização. Em alguns casos, utiliza-se a injeção intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI), onde um único espermatozoide é injetado diretamente em cada óvulo.
  5. Cultivo de embriões: Os embriões fertilizados são cultivados no laboratório por vários dias. Durante este período, são monitorados para garantir seu desenvolvimento adequado. Técnicas avançadas como o cultivo prolongado até o estágio de blastocisto podem ser empregadas. Neste estágio, o embrião tem maior chance de implantação após a transferência para o útero.
  6. Transferência de embriões: Um ou mais embriões são selecionados para transferência. Um cateter fino é usado para transferir os embriões diretamente para o útero da mulher.
  7. Testes de gravidez: Após a transferência, a mulher é testada para gravidez cerca de duas semanas depois, através de um exame de sangue para medir os níveis de hCG.

Tecnologias complementares:

  • Seleção Espermática Avançada: Métodos como a separação gradiente de densidade são usados para escolher espermatozoides de alta qualidade para a fertilização.
  • Análise Genética Pré-Implantação (PGT): Esta tecnologia permite a análise genética dos embriões antes da transferência, identificando aqueles livres de anormalidades genéticas específicas. É particularmente útil para casais com risco conhecido de doenças genéticas hereditárias.

A FIV é uma opção poderosa para muitos casais inférteis, proporcionando uma chance significativa de conceber uma criança biológica, mesmo em casos de infertilidade severa.

Com o avanço das tecnologias de reprodução assistida, as taxas de sucesso da FIV continuam a melhorar, oferecendo esperança para muitos que antes não tinham opções.

Indicações da Fertilização In Vitro:

  • Infertilidade pós-tratamento: Casais que não obtiveram sucesso com outras formas de tratamento.
  • Problemas com as Trompas de Falópio: Trompas bloqueadas ou danificadas que impedem a fertilização natural.
  • Fatores masculinos severos: Baixa contagem de espermatozoides, problemas de motilidade ou morfologia.
  • Distúrbios ovulatórios: Como SOP, que não respondem a tratamentos de indução de ovulação.
  • Endometriose: Onde tecido semelhante ao do revestimento uterino cresce fora do útero.
  • Risco de doenças genéticas: Casais que desejam evitar a transmissão de condições genéticas hereditárias.

Vantagens da fertilização in vitro:

  • Altas taxas de sucesso: Uma das técnicas de reprodução assistida com as maiores taxas de sucesso, especialmente para mulheres abaixo de 35 anos.
  • Opção para condições diversas: Efetiva para uma ampla gama de problemas de fertilidade.
  • Diagnóstico genético: Permite o diagnóstico genético pré-implantacional para selecionar embriões saudáveis.
  • Uso de doadores: Possibilita o uso de óvulos, espermatozoides ou embriões doados.
  • Congelamento de embriões: Embriões não utilizados podem ser congelados para uso futuro, sem necessidade de novos ciclos de estimulação.

Prevenção da infertilidade.

alimentação saudávelpara infertilidade

Adotar medidas preventivas pode ser benéfico para melhorar a fertilidade e reduzir o risco de enfrentar dificuldades para conceber:

  • Tenha uma alimentação balanceada rica em frutas, vegetais, grãos integrais e proteínas magras pode apoiar a saúde reprodutiva. Nutrientes específicos, como ácido fólico, ferro, zinco e vitaminas do complexo B, são especialmente importantes para quem está tentando conceber.
  • Pratique exercícios físicos regularmente
  • Limite o consumo de álcool e evite o tabagismo.
  • Reduza a exposição a substâncias químicas nocivas, tanto no trabalho quanto em casa.
  • Gerencie seu estresse com técnicas de relaxamento, exercícios físicos, hobbies ou terapia.

Consultas regulares ao ginecologista.

Consultas regulares ao ginecologista ou a um especialista em fertilidade podem ajudar na detecção precoce de potenciais problemas de saúde que podem afetar a fertilidade.

Essas consultas também são uma oportunidade para discutir quaisquer preocupações ou questões sobre saúde reprodutiva.

Embora algumas causas de infertilidade não possam ser evitadas, a adoção de um estilo de vida saudável e a proatividade em relação à saúde reprodutiva podem aumentar as chances de concepção e promover um melhor bem-estar geral.

Dr.Jailton especialista em infertilidade

Dr. Jailton Santiago, com sua formação especializada, tem sido um farol de esperança para muitas mulheres em busca de maternidade. Com uma abordagem baseada em conhecimento atualizado e práticas eficazes, ele guia suas pacientes com cuidado e atenção personalizada em cada passo do caminho para alcançar seus sonhos de conceber.

Aspectos psicológicos.

Enfrentar a infertilidade vai além do físico, afetando profundamente o emocional e o psicológico de indivíduos e casais.

O leque de emoções envolvidas é amplo, indo de frustração e tristeza até culpa e raiva.

Essas reações surgem tanto como resposta imediata às dificuldades para conceber quanto pelo impacto nas expectativas de vida e na identidade pessoal e conjugal, adicionando estresse significativo tanto para o indivíduo quanto para o casal.

mulher sofendo com infertilidade

Depressão e ansiedade são comuns diante da incerteza prolongada que os tratamentos de infertilidade trazem, sublinhando a importância de desenvolver estratégias eficazes de enfrentamento.

Estas estratégias, além de mecanismos de defesa, são fundamentais para construir resiliência emocional e psicológica.

Técnicas de relaxamento como mindfulness e meditação provaram ser eficazes na redução do estresse, e a participação em grupos de apoio cria um sentido de comunidade e compreensão mútua, diminuindo o isolamento emocional.

O acompanhamento psicológico é essencial, oferecendo um espaço seguro para expressar e processar emoções.

Este apoio ajuda a desenvolver um conjunto de estratégias de enfrentamento adaptadas às necessidades de cada pessoa ou casal, facilita a comunicação, especialmente entre parceiros, e fortalece o diálogo, permitindo compartilhar vulnerabilidades, medos e esperanças.

O suporte emocional de parceiros, família e amigos é incrivelmente valioso, transformando a experiência da infertilidade de um caminho solitário em uma jornada compartilhada de esperança e força coletiva.

Este apoio não só alivia o peso emocional, mas também aumenta a resiliência e a motivação para persistir na busca por respostas e soluções.

Embora desafiadora, a infertilidade também pode ser uma oportunidade para o redescobrimento pessoal e o fortalecimento dos laços relacionais.

Reconhecer e tratar seus aspectos psicológicos não só melhora a qualidade de vida durante esse período, mas também prepara os indivíduos para os próximos passos, seja na continuação dos tratamentos ou na exploração de alternativas para formar uma família.

Convido vocês a:

  • Procurar orientação especializada para um entendimento claro de suas opções.
  • Abrir-se para apoio emocional familiar, de amigos, psicólogos e do parceiro.
  • Manter-se atualizado com as evoluções na saúde reprodutiva, equipado de conhecimento e otimismo.

Rumo à esperança.

A infertilidade representa um desafio complexo, ressaltando a necessidade de uma abordagem completa e informada.


Mesmo com os desafios da infertilidade, a esperança e a ciência nos mostram um caminho cheio de luz.

Novos tratamentos e o apoio carinhoso que temos ajudam a abrir caminhos para quem sonha em ter uma família.

Cada passo, seja em busca de conhecimento, apoio ou tratamento, é um movimento rumo à realização de sonhos familiares.

Inicie essa caminhada com confiança, sabendo que cada ação positiva te aproxima do objetivo.

A saúde reprodutiva é uma viagem valiosa e você merece todo o apoio nessa busca pela esperança.

Assim como as “Sementes Silenciosas”, que mesmo discretas, guardam o potencial para a vida, cada esforço no enfrentamento da infertilidade pode florescer em novas possibilidades e realizações.

Fonte:

https://www.iff.fiocruz.br/index.php/pt/?view=article&id=112

Contem comigo! Marque uma consulta!

Dr. Jailton João Santiago Junior
CRM: 22.938 | RQE: 16.184
Médico Ginecologista e Obstetrícia

×